Parque Cão Sentado em Friburgo é refúgio ideal para quem quer tranquilidade

À margem da rodovia que liga o município a Bom Jardim, tem tal nome por conta da formação rochosa que se assemelha a um imponente cachorro

Por O Dia

Rio - Quer fugir da agitação do Rio com a família no fim de semana e se divertir num paraíso verde, mas sem ter que ir para muito longe? Então uma boa dica é Nova Friburgo, na Região Serrana. A pouco mais de duas horas de viagem, a apenas 140 quilômetros da capital, é lá que se encontra o Parque Cão Sentado, uma unidade de conservação de uma pequena, mas importante área do que ainda resta da Mata Atlântica. À margem da rodovia que liga o município a Bom Jardim, tem tal nome por conta da formação rochosa que se assemelha a um imponente cão de guarda, com 111 metros de altura.

Parque fica em uma área com 65 mil metros quadradosDivulgação

De acordo com o administrador do parque, Ronaldo Amorim, novos investimentos estão atraindo mais turistas para o parque, que tem em torno de 65 mil metros quadrados. “As novidades agora são uma piscina natural para crianças e a instalação de chuveiros em diversos pontos, destinados às pessoas que praticam caminhadas ou outros exercícios físicos, como arborismo ou escalada, por exemplo”, afirma Ronaldo, que há 14 anos atrás investiu, em parceria com os governos estadual (TurisRio) e municipal, R$ 280 mil para recuperar a unidade que então se encontrava abandonada há mais de uma década.

“Hoje, com melhorias constantes, estamos atraindo mais de 600 turistas nos fins de semana, em programas que podem ser feitos pela família toda”, orgulha-se Ronaldo, enumerando algumas das obras executadas — dragagem e contenção do lago, que ganhou mais profundidade, reformas das escadas e corrimões, construção de dois banheiros, sala de primeiros socorros, guarita com roleta, lanchonete, nova sede e playground, entre outras.

Na parte baixa do parque, a entrada é livre. Apenas quem faz a trilha, de média intensidade, é que paga R$ 12. Atividades de lazer e de esportes não faltam no local, que reúne várias grutas, cavernas e lagos. Num deles funciona um pesque-devolva, no qual os visitantes pescam, mas são obrigados a retornar com os peixes para a água. A tirolesa e o arborismo são atividades imperdíveis. Um dos pontos mais visitados é o mirante do parque, onde se chega por caminhada e de onde se pode apreciar a exuberância da Pedra do Cão Sentado. No parque há também uma praça de alimentação, com restaurante e lanchonete voltados para um dos lagos principais.

Já a área destinada à prática de montanhismo é restrita aos esportistas com conhecimento de escaladas ou para grupos de escaladores acompanhados de condutor, principalmente no bloco de rochas que formam a figura do cachorro. Algumas áreas de preservação da fauna e da flora não são permitidas aos visitantes, exceto jardins projetados com a introdução de espécies exóticas e da flora tropical, porém não nativas.

Últimas de Rio De Janeiro