Niterói se prepara para entrar nos trilhos

Cidade inicia estudos de viabilidade para implantação de uma linha do VLT ligando o Centro a Charitas

Por O Dia

Rio - Niterói está próxima de tomar um novo rumo em mobilidade urbana. É que a cidade estuda a implantação de uma linha de VLT — Veículo Leve sobre Trilhos. A iniciativa faz parte de uma parceria com a Agência de Desenvolvimento Francesa — AFD. Apesar de ainda conceitual, o traçado pretende ligar as estações das barcas da Praça de Araribóia, no Centro, e de Charitas, na Zona Sul. No total, o projeto inicial prevê a construção de onze quilômetros de trilhos, desafogando o trânsito no município.

Traçado original do VLT deverá ter um total de onze quilômetrosDivulgação

De acordo com Axel Grael, secretário Executivo da Prefeitura, o governo municipal ainda negocia a captação de recursos para a elaboração de um estudo de viabilidade técnica. Ao mesmo tempo, ele esclarece que, no traçado original, o VLT passará pelos bairros de Charitas, São Francisco, Icaraí, Jardim Icaraí, Santa Rosa, Centro, São Domingos e Ponta D'Areia.

“O projeto que existe é conceitual. Temos um traçado preliminar, mas não é possível ainda definir o número de estações e os locais onde elas realmente serão implantadas. Esses pontos todos serão definidos após a conclusão do estudo de viabilidade”, pondera Axel Grael.

O secretário ressalta que não há qualquer definição com relação aos custos da obra e nem se o governo federal vai disponibilizar recursos para a implantação do VLT. Axel Grael, no entanto, garante que a prefeitura está em busca dos investimentos necessários para finalmente poder concretizar o projeto e não abre mão de criar parcerias público-privadas.

O número de composições que irá fazer parte da frota do VLT também depende do estudo de viabilidade técnica. Assim, falta definir a empresa onde serão adquiridos os trens. “Isso tudo será definido e licitado”, adianta.

Otimista, Axel Grael acredita que a implantação do VLT vai melhorar e muito a vida dos niteroienses, beneficiando a mobilidade urbana de um modo geral. “Os principais benefícios serão o transporte coletivo com conforto e a consequente melhoria da qualidade de vida da população”, acredita.

O secretário conta que a implantação do VLT é um dos projetos de cooperação com a Agência de Desenvolvimento Francesa — AFD. Outras iniciativas com a entidade também estão sendo estudadas, como, por exemplo, o aperfeiçoamento do sistema da Defesa Civil e a aquisição de novos equipamentos. “Negociamos também a viabilização das obras de urbanização das comunidades dos morros do Arroz, do Estado e da Boa Vista, além da implantação do Parque da Chácara do Vintém e a macrodrenagem do Rio Icaraí”, revela.

Últimas de Rio De Janeiro