Miliciano é procurado por tentar matar policial civil em Quintino

Segundo a Polícia Civil, suspeito atirou contra agente e jogou granada na porta de sua casa

Por O Dia

Rio - O Portal dos Procurados divulgou, nesta segunda-feira, cartaz com recompensa de R$ 1 mil por informações que levem à prisão do miliciano Marcos Vinicius Tostes da Silva, de 25 anos. Ele é apontado pela Delegacia de Homicídios (DH) como o principal suspeito de tentar matar um policial civil na madrugada deste domingo. Segundo os agentes, ele já é considerado foragido da Justiça.

Miliciano é suspeito de jogar granada contra policialDivulgação

De acordo com o delegado Fábio Salvadoretti, da DH, o crime aconteceu no bairro de Quintino, na Zona Oeste do Rio, e teria sido motivado por uma discussão por causa do barulho de uma festa.  O episódio começou com reclamações de vizinhos por causa do som alto, vindo da festa realizada pelo miliciano e seus comparsas. Segundo Salvadoretti, o grupo ostentava armas. Incomodados, vizinhos pediram a ajuda da Polícia Militar.

No entanto, após a saída dos militares, tudo recomeçou. Um policial civil, cujo nome foi preservado pelo delegado por questões de segurança, foi tomar nova satisfação, pelo fato de ter reclamado antes e sido ameaçado pelos milicianos. Em certo momento eles atiraram na vítima, dizendo “civil vai morrer”. Depois de ter feito os disparos, Marcos Vinicius ainda atirou uma granada em direção à casa da vítima. O artefato não explodiu.

O policial civil foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Segundo informações, nenhum órgão vital foi atingido e ele já recebeu alta.

Em decisão do Tribunal de Justiça, uma ordem de prisão preventiva foi emitida contra Marcos Vinicius. Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do suspeito, fdeve informar pelos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www. facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ. 

Todas as informações serão encaminhadas à DH.

Últimas de Rio De Janeiro