Fiscal da Vigilância Sanitária infarta ao receber voz de prisão na Baixada

Ele e outros cinco foram presos nesta manhã pela polícia, inclusive a superintendente do órgão, por receberem propina

Por O Dia

Rio - Cinco fiscais e a superintendente da Vigilância Sanitária de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Sandra Marques Leal, foram presos na manhã desta quarta-feira por policiais da 64ª DP (Vilar dos Teles). Um deles, Paulo Cesár Moreira Mendes, infartou ao receber voz de prisão e está internado no PAM de Meriti. Segundo a polícia, o grupo cobrava propina de comerciantes da cidade para não multar os estabelecimentos pelas irregularidades encontradas.

Sandra Marques Leal foi indicada à superintendência da Vigilância Sanitária de São João de Meriti por Paulo César Moreira Mendes. Ele infartou ao receber voz de prisãoMontagem sobre reproduções

Todos foram presos em suas casas em São João de Meriti. De acordo com as investigações, o bando agia há, pelo menos, dez anos. Escutas telefônicas gravadas com autorização da Justiça revelam o esquema de propinas.

Outro fiscal preso é Nassif Ribeiro dos SantosReprodução

Ainda segundo a polícia, Sandra era a líder do grupo e foi indicada para o cargo de superintendente da Vigilância Sanitária de São João de Meriti por Paulo César.

Os outros presos são os fiscais Nassif Ribeiro dos Santos, Emerson Almeida da Silva, Vagner de Oliveira Andrade e Marco Aurélio de Oliveira Cordeiro.

Empresários de grandes empresas que atuam na região — restaurantes, açougues, supermercados, entre outros — pagavam as propinas aos fiscais da Vigilância Sanitária.

O valor a ser pago poderia chegar até R$ 5 mil, que era pago mensalmente. Já valores menores eram pagos semanalmente aos corruptos.

A operação da 64ª DP para cumprir os mandados de prisão contou com o apoio do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB). A investigação começou há quatro meses.

Últimas de Rio De Janeiro