Policial militar lotado na UPP do Alemão é baleado na cabeça e morre no hospital

Ele foi atingido quando chegava para trabalhar na base da comunidade. PM foi levado para hospital, mas não resistiu

Por O Dia

O soldado Evaldo César Silva de Moraes Filho tinha 27 anos e estava há pouco mais de 2 anos na PMReprodução

Rio -  Um policial militar da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Alemão foi baleado na cabeça na noite deste domingo quando chegava de carro para o trabalho na base na comunidade. De acordo com policiais do 16º BPM (Olaria), o soldado Evaldo César Silva de Moraes Filho, de 27 anos, foi atingido por volta das 19h e levado para o Hospital Getúlio Vagas, na Penha. Ele passou por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

Evaldo estava desde março de 2014 na corporação, não tinha filhos, mas estava noivo. Ainda não há informações sobre o sepultamento.

O caso está sob investigação da Delegacia de Homicídios (DH). O trabalho de perícia foi realizado no local. Ele é o trigésimo quinto policial morto este ano no estado do Rio de Janeiro. Ao todo, 161 policiais foram baleados desde o início de 2016

Segundo o Portal Voz da Comunidade, que atua no conjunto de favelas da Zona Norte, apenas nestes primeiros oito dias de maio, seis pessoas foram atingidas por disparos de armas de fogo durante tiroteios na comunidade. Desde o início do ano, 26 pessoas foram baleadas nas comunidades do Complexo do Alemão. 

Um áudio recebido através do WhatsApp do DIA (98762-8248) revela o desespero de policiais ao saberem da notícia do ataque a Evaldo. 

"Atenção quem tiver indo para "extra" aí. Atacaram o carro particular, balearam o Evandro (sic), aparecentemente na cabeça. Atividade na subida, atividade. Muita atenção na subida. (sic)"

Na noite deste sábado, a moradora Elaine Cristina, de 35 anos, morreu baleada nas costas e nas nádegas. Um PM, da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, também ficou ferido alvejado na troca de tiros. O confronto aconteceu em uma localidade conhecida como Beco do Galinheiro. Elaine Cristina era trabalhadora e mãe. Ela deixa três filhos. 

Elaine Cristina%2C de 35 anos%2C não resistiu aos ferimentos Reprodução / Facebook

Os agentes da UPP foram à localidade para impedir a montagem de um equipamento de som para um baile funk que não havia sido autorizado e que ia ser realizado. Na ocasião, os agentes fizeram uma pequena ação para coibir o tráfico de drogas no local e encontraram material para endolação próximo ao Campo do Seu Zé. Por volta das 21h, PMs estavam em patrulhamento de rotina pela localidade do Largo do Samba quando foram atacados por traficantes.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) houve um intenso confronto e um policial foi ferido de raspão e socorrido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ainda de acordo com a CPP, por volta das 22h, várias equipes das UPP no Alemão passaram a sofrer ataques simultâneos e houve confronto em diversos pontos da comunidade.

As trocas de tiros simultâneas ocorreram no Largo do Cruzeiro, na Rua 2, na Praça do Samba e na Rua Sem Saída. Houve reforço no policiamento por agentes de outras UPPs, do 16º BPM (Olaria) e do Grupamento de Intervenções Táticas.

Elaine foi baleada e foi levada em estado grave para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão. A vítima foi transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. O policial ferido foi atendido e medicado. De acordo com a CPP, ele já recebeu alta. 

Últimas de Rio De Janeiro