'Voz de prisão você não vai me dar nunca, meu bem', diz mulher para PM

Visivelmente alterada, mulher desacata policiais após provocar um acidente em estabelecimento na Taquara, na Zona Oeste

Por O Dia

Rio - Uma mulher foi presa após desacatar policiais militares dentro do mercadão da Taquara, na Zona Oeste, na última sexta-feira. Visivelmente alterada, ela enfrenta os policiais e diz ser "funcionária federal" e que nunca receberia voz de prisão.

De acordo com policiais do 18º BPM (Jacarepaguá), uma viatura foi solicitada ao local após a mulher bater com o seu carro no veículo de uma outra pessoa e provocar uma enorme confusão.

Com a chegada dos PMs, ela se recusou a sair do carro e entregar a documentação. Logo depois, no entanto, saiu do veículo e começou a desafiar os policiais. 

Mulher%2C visivelmente alterada%2C desacata policiais após provocar acidente na TaquaraReprodução

Na conversa, ela chega a dizer que o policial "está louco, bêbado e comprado", ao mesmo tempo que tentava retirar os documentos da mão do PM.

Após o policial pedir para ela não encostar nele, a mulher, que seria professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e se identifica como Rejane, retruca: "Tire a mão de mim, você. Você que está abusando. Eu sou uma funcionária federal". 

Uma senhora, que parece acompanhá-la, sugere que as duas voltem de ônibus, mas ela insiste em sair do local de carro mesmo sem condições. 

"Sou federal, tenho 46 anos, muito mais antiga que você. Voz de prisão você não vai me dar nunca, meu bem", desafia. Logo depois, ela agarra um dos policiais que realizam a ocorrência e acaba sendo algemada.

A mulher foi levada para a 32ª DP (Taquara), onde o caso foi registrado. Ela foi autuada e presa em flagrante por desacato, desobediência e por dirigir embriagada. Após o pagamento de fiança, ela foi liberada e deixou o local com o seu pai.

Rejane realizou exame de alcoolemia no Instituto Médico Legal (IML), onde foi constatado o uso de bebida alcoólica.

Desacato de arquiteta

Em janeiro, uma mulher foi autuada por desacato no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. A motorista, que não teve a identidade divulgada, não obedeceu uma ordem dada por um policial de parar o veículo e, quando efetivamente parou o carro, acabou agrediu verbalmente o militar. Toda a cena foi gravada pelo PM. Nas imagens, é possível ver o nervosismo da motorista.

"Eu sou arquiteta e estou fazendo obras com várias UPPs, se você quer saber. Ele veio com a arma em cima de mim. Ele me desrespeitou", gritava a motorista com o policial que gravava a cena. Enquanto o PM solicitava os documentos de identidade do motorista e do veículo, ela se mostrava muito nervosa.

"O que a senhora fez aqui, todo mundo vai ficar sabendo no batalhão. A supervisão de oficial vai vir aqui", respondeu o policial em um momento do vídeo. Em outra parte, ele pergunta: "O que a profissão da senhora tem a ver com isso?"

Irratada, ela rebateu: "O seu colega de trabalho saiu do carro e apontou a pistola pra cima de mim. Eu não sou bandida". Ao longo do vídeo a discussão continua. Em um dado momento, ela grita para o policial: "Eu não estou fugindo não. Eu estou indo para minha casa".

O caso foi registrado na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) como crime de desacato. A mulher e os policiais envolvidos na ação foram ouvidos no local Posteriormente, o caso foi enviado pela 42ª DP à Justiça. Ficará a cargo do Juizado Criminal Especial (Jecrim) julgá-lo. Na delegacia, a mulher assinou um termo circunstanciado e foi autuada por crime de desacato, considerado de menor potencial ofensivo. A pena varia de seis meses a dois anos ou multa.

Últimas de Rio De Janeiro