PMs não ganharão cestas de fim de ano

Orçamento teria estourado com gastos na Copa. É a primeira vez que agentes ficarão sem benefício

Por O Dia

Rio - O Natal vai ser magro para os mais de 48 mil policiais militares do Rio. Pela primeira vez, os agentes vão ter que usar a criatividade e apertar os cintos para fazer a ceia, já que, às vésperas da data da celebração, nenhum vestígio de cesta de produtos ou vale-compras chegou à mesa dos agentes. E nem deve. Segundo informações dos policiais, não há verba para a compra do benefício, já que o orçamento da corporação com alimentação previsto para 2014 foi estourado com os gastos extras durante a Copa do Mundo.

Desde o fim de maio até 13 de julho, todo o efetivo da PM e os recrutas recém-formados foram colocados de prontidão para os jogos, para dar conta da segurança da cidade durante o evento, que durou um mês. Neste período, os policiais recebiam lanches durante o expediente, que incluía sanduíches, suco, água, maçã, biscoito, barar de cereal e bolo. O custo extra com os lanches saiu do orçamento anual.

Nenhum comunicado oficial sobre a falta da cesta de Natal foi feito aos policiais, mas a notícia já corre entre a tropa, que ficou desanimada. “Sempre recebemos cesta, mas ao longo do tempo foi minguando. Há dois anos, foi um vale-compras. Agora, nem sombra disso”, disse um cabo, que pediu para não ser identificado. Ainda segundo o policial, o vale era no valor de R$ 100, que saía no contracheque como auxílio natalino.

Todo o efetivo da PM foi colocado de prontidão para os jogos. Já coronéis terão almoço de confraternização na sexta na Academia de PolíciaAndré Luiz Mello / Agência O Dia

“Para a maioria dos policiais faz muita diferença receber essa ajuda no Natal, principalmente para quem tem família grande. Nosso salário já é apertado, e os produtos da ceia estão cada vez mais caros”, comentou um sargento, que é casado e tem três filhos.

No ano passado, além de produtos tradicionais de uma cesta básica, o benefício que os PMs receberam tinha itens natalinos como frios, pêssego, frango e meio quilo de bacalhau. A distribuição dos kits ocorreu entre os dias 9 e 17 de dezembro para os policiais, mas o aviso foi dado já no boletim do dia 22 de novembro, para que as unidades fornecessem a lista com nomes e identidades de todos os beneficiários.

Em nota, a assessoria da PM informou que “solicitou à Secretaria de Segurança que viabilizasse os recursos necessários junto à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) para a definição dos bônus de fim de ano.” A corporação ainda aguarda uma definição da secretaria. Já a assessoria da Seplag informou apenas que ainda não há resposta sobre o pagamento do benefício.

Enquanto o problema da ceia da tropa não é solucionado, o Boletim Interno da PM de quarta-feira publicou um convite para uma confraternização natalina restrita a coronéis que ocupam cargos de comandante, subcomandante, chefe, subchefe e diretores de unidade. O almoço será realizado sexta-feira, na Academia de Polícia Militar Dom João VI, em Sulacap.

Últimas de Rio De Janeiro