BRT inicia a linha do Galeão com poucos passageiros

Imprudência continua a preocupar e moto causa pequeno acidente no corredor

Por O Dia

Rio - Dois dias depois da abertura da primeira linha do Transcarioca, o trajeto Galeão—Alvorada do novo BRT estreou com poucos passageiros e muitas infrações de pedestres e motoristas pelo caminho. Com isso, nesta quarta-feira também foi registrado o primeiro acidente, sem gravidade, no corredor, que envolveu um agente a serviço do BRT e uma motociclista, que teria invadido a pista exclusiva dos ônibus. Presente à viagem inaugural, o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, reconheceu a urgência de ajustes no sistema e lamentou a imprudência de transeuntes e motoristas.

“Com a entrada do BRT, as pessoas vão começar a perceber os riscos. Vamos priorizar as ações de trânsito para coibir os abusos ou a negligência nas vias do BRT”, afirmou o secretário. A primeira partida na linha Alvorada-Galeão teve início às 5h02, com apenas um passageiro, além de jornalistas, a presidente da CET-Rio, Cláudia Secin, dois PMs do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), remunerados pelo trabalho em hora extra, e do motorista Maurício Zanelato, de 46 anos, e seu instrutor.

BRT Transcarioca começa a operar do Terminal Alvorada até o Aeroporto do GaleãoFoto%3A Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Na parada em Vicente de Carvalho, o primeiro usuário do sistema, Antonio Jorge Hermínio Galo, de 24 anos, recebeu a companhia de mais 14 passageiros, que embarcaram rumo ao Galeão. “Já andei no Transoeste e tinha uma noção de que seria bom. A Zona Oeste tem uma deficiência muito grande de ônibus. Isso aqui vai ajudar muito toda essa região”, elogiou Antonio, que mora na Pavuna.

Durante o trajeto nas primeiras horas da manhã, os maiores problemas no corredor ocorreram em Madureira. Na descida do Viaduto Negrão de Lima, três veículos acessaram a pista exclusiva para os ônibus no sentido Zona Oeste. Mais à frente, próximo ao Morro do Cajueiro, um ônibus da linha 946 (Engenho da Rainha-Pavuna) ficou atravessado no caminho do BRT. Segundo Sansão, o coletivo foi multado e a empresa será notificada.

De acordo com Cláudia Cecin, 200 agentes da companhia e 100 da Guarda Municipal vão trabalhar 24 horas na fiscalização do trânsito nas vias do BRT. Além disso, 70 pardais estão em operação no corredor.
Em outras viagens, no fim da manhã, em ruas vizinhas à Estação Vicente de Carvalho, os motoristas do BRT foram obrigados a reduzir a velocidade e a buzinar regularmente para pedestres e ciclistas, que entravam no corredor.

Programa de turista no primeiro dia

Em férias na casa de um irmão no bairro de Vicente de Carvalho, o paraibano Roberto Carlos Alves, 49, ficou curioso com a novidade do BRT assim que chegou ao Rio, há uma semana, e resolveu conferir a primeira viagem da Linha Alvorada—Galeão. Ele aproveitou a viagem até o Aeroporto para comprar a passagem de volta à cidade natal.

BRT Transcarioca começa a operar do Terminal Alvorada até o Aeroporto do GaleãoFoto%3A Osvaldo Praddo / Agência O Dia

“Quando cheguei, levei uma hora e 10 minutos do aeroporto para Vicente de Carvalho e paguei R$ 56 pela corrida de táxi. Quando for pegar o voo para voltar para a Paraíba, vou poder sair mais tarde da casa do meu irmão, economizar dinheiro e ainda viajar mais rápido e com mais conforto”, contou.

Outra que foi testar a novidade foi a a jornalista Marina Rodrigues, de 25 anos. Moradora da Ilha do Governador, ela pegou um ônibus articulado no Terminal 1 do Galeão, às 9h50, junto com outros 50 passageiros, e chegou à Estação Alvorada uma hora e 15 minutos depois. “Aprovei a qualidade do serviço, mas demorei um pouco mais para chegar à Barra ainda tenho de pegar outro ônibus até a Avenida das Américas”, disse Marina, atenta também à economia que pode fazer em relação ao uso de vans.

Primeiro acidente

A frequente imprudência no novo corredor Transcarioca teve sua primeira consequência negativa nesta quarta-feira. De acordo com o consórcio operador do BRT, por volta das 14h30, na Rua Cândido Benício, na Taquara, uma motociclista atravessava a via irregularmente pela faixa de pedestres, com o sinal aberto para o BRT, quando colidiu com o motociclista do Transcarioca, que dá apoio ao serviço dos ônibus. A mulher não teria ficado ferida e o agente teve ferimentos leves.

Segundo o leitor que enviou a foto para o Whatsapp do DIA e com o operador do BRT, a mulher que conduzia a moto estava sem habilitação. Os agentes da Guarda Municipal foram ao local do acidente, mas a instituição não informou, a tempo do fechamento desta edição, o que aconteceu com a motorista.

Colaborou Paulo Maurício Costa

Últimas de Rio De Janeiro