Polícia prende mulher apontada como amante do traficante Piolho

Marcele Rosângela Leon Rosas, de 32 anos, resistiu a prisão e chegou a entrar em luta corporal com agentes da Polinter

Por O Dia

Rio - Policiais da Polinter prenderam na noite desta sexta-feira, em Piedade, na Zona Norte, a professora de Educação Física Marcele Rosângela Leon Rosas, de 32 anos. Ela é apontada pela polícia como amante do traficante Alexandre Bandeira de Melo, conhecido como Piolho, e reagiu a prisão. De acordo com a polícia, ela participou da tentativa de resgate ao criminoso do Fórum de Bangu, em outubro. Um menino de oito anos e um PM morreram na ação. Piolho é chefe do tráfico no Morro do Dezoito, em Água Santa.

Amante do traficante Piolho participou de tentativa de invasão ao fórum de Bangu%2C diz políciaDivulgação

Ainda na manhã de sexta-feira, a Polinter desencadeou uma operação no Morro do Dezoito para prender integrantes da quadrilha de Piolho, acusados da ação criminosa no Fórum de Bangu. Para o cumprimento dos 11 mandados de prisão e nove de busca e apreensão, agentes estiveram em endereços na Zona Oeste e na Baixada Fluminense. Um deles era contra a professora de Educação Física. Dois homens foram presos na comunidade. A polícia ainda tenta cumprir outros oito mandados de prisão.

Segundo o delegado Rafael Willis, no plano para resgatar Piolho, Marcele seria a responsável por levar uma arma para o namorado dentro da carceragem do Fórum, no dia do depoimento dele, que culminaria com a invasão e a tentativa de resgate do criminoso. O plano, ainda de acordo com o delegado, foi revelado pelo próprio traficante, em depoimento na Divisão Homicídios (DH).

Durante as investigações, os agentes também descobriram que Marcele fazia favores para Piolho. Rafael Willis disse ainda que ela reagiu a prisão e até entrou em luta corporal com os policiais. O traficante está preso desde abril de 2012, quando foi surpreedido por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de NIterói.

Ação cerca o Morro do Dezoito

Os agentes da Polinter, com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Divisão de Homicídios (DH) e outras delegacias especializadas, realizaram a partir das 5h de sexta-feira um grande cerco ao Morro do Dezoito para tentar cumprir os mandados de prisão expdidos pela justiça contra integrantes da quadrilha de Piolho

Na chegada ao morro, policiais da Core foram recebidos a tiros pelos traficantes. Do alto da mata, os marginais tentavam impedir a progressão dos agentes na comunidade. Durante cerca de três minutos, eles tiveram que se abrigar nos acessos. Os policias, porém, conseguiram avançar. Uma equipe da DH, sob o comando o delegado titular Rivaldo Barbosa, também conseguiu vasculhar uma localidade habitada próxima a mata. Nada foi encontrado.

Agentes da Polinter também estiveram em um condomínio de luxo no Pontal, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste. No local reside a namorada de Jean Carlos do Nascimento, apontado pela polícia como braço direito de Piolho. Os investigadores tinham interceptado uma ligação entre os dois e descobriram o endereço do imóvel. Segundo testemunhas, ninguém aparece no local a cerca de dez dias. Ele não foi encontrado.

O Morro do Dezoito se tornou um dos refúgios da facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) após a ocupação pelas forças de segurança da Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul; do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, e do Complexo de São Carlos, no Estácio, ambos na Zona Norte. Apesar de preso, além da comunidade Piolho também lidera o tráfico de drogas nos morros vizinhos da Saçú e do Fubá, em Quintino

A invasão do Fórum de Bangu terminou com as mortes do menino Kayo da Silva, de oito anos, atingido por uma bala perdida, e do sargento da PM Alexandre Oliveira, 40. Vinte e quatro criminosos seriam julgados em audiência, mas o objetivo da quadrilha era era resgatar Piolho.

A polícia não confirmou oficialmente, mas um dos mandados de prisão da ação desta sexta-feira seria contra o traficante Leandro Nunes Botelho, o Scooby, apontado como o comandante da ação criminosa em Bangu. Ele era o chefe do tráfico de drogas no Morro dos Macacos antes da ocupação da comunidade pela polícia.

Últimas de Rio De Janeiro