Quantidade ideal de sono depende da faixa etária

Pesquisa indica que tanto poucas horas quanto o excesso de tempo fazem mal

Por O Dia

Rio - Dormir poucas horas causa males como falta de concentração e até doenças, como hipertensão e diabetes. Mas tempo demais na cama também não é boa ideia, pois interfere nos hormônios, o que pode alterar o metabolismo. Qual, então, seria a quantidade ideal de sono? Para tirar a dúvida, a instituição norte-americana National Sleep Foundation descreveu que período cada faixa etária precisa repousar por noite.

Crianças, adolescentes e adultos têm organismos distintos e, portanto, necessidades diferentes de sonoReprodução

O estudo avaliou de bebês a idosos, e mostrou que o tempo de sono necessário cai à medida que a idade sobe, de 17 para 7 horas por noite.

“As crianças precisam amadurecer o organismo. Os hormônios do crescimento são influenciados pelo período que elas dormem”, exemplifica a neurologista Andrea Bacelar. Para ela, bebês de até 3 meses deveriam dormir pelo menos 20 horas, para ajudar na formação de neurônios. “Além do amadurecimento, o repouso contribui para a maximização das sinapses no cérebro”, acrescenta.

Já adolescentes deveria repousar por 10 horas. Mas é comum ficarem até tarde na internet. “Dormir tarde é péssimo, muda a rotina do organismo, e prejudica o desempenho escolar. Descansados, estão mais aptos a aprender”, analisa.

Para adultos, o tempo ideal seria entre 7 e 9 horas. Mas, por causa da correria e das longas jornadas de trabalho, isso não ocorre. “A privação de sono gera consequências no futuro, como diabetes, obesidade e câncer”, alerta.

Mas dormir muito também traz malefícios, como alterações no metabolismo. “Você vai contra o ritmo dos hormônios de alerta, ativados de manhã, entre 5h e 6h, que provocam o despertar. Com a desregulação do relógio biológico, é possível até ocorrer uma mudança na temperatura corporal”, analisa a especialista.

A neurologista afirma que o melhor é regularizar o horário de adormecer, adotando uma rotina. “Se durmo pouco e preciso acordar cedo no dia seguinte, não vou conseguir ficar bem. Tem gente que geneticamente prefere a noite, então, se ela conseguir unir a vontade com a disponibilidade, o melhor é criar essa rotina”, explica.

NECESSIDADES E PREJUÍZOS

BEBÊS ATÉ 3 MESES
14 a 17 horas. Não é recomendado menos de 11 ou mais de de 19. Dormir mal prejudica formação de neurônios e crescimento.

4 A 11 MESES
Ideal: 12 a 15 horas. Menos de 10 ou acima de 18 pode fazer mal. Os prejuízos são os mesmos da fase anterior. Há mais chances de infecções.

1 A 2 ANOS
11 a 14 horas. Não recomendado: menos de 9 ou mais de 16. Mesmos males dos bebês.

3 A 5 ANOS
10 a 13 horas. Menos de 8 e mais de 14 horas é ruim. Mesmos males dos bebês.

6 A 13 ANOS
9 a 11 horas. Não recomendado menos de 7 ou mais de 12. Sono ruim causa falta de atenção e atrapalha o aprendizado.

14 A 17 anos
8 a 10 horas. Prejudicial menos de 7 ou mais de 11. Dormir pouco dificuldade aprendizado. Piora déficit de atenção.

18 A 25 ANOS
7 a 9 horas. Não recomendado: menos de 6 ou mais de 11. Problemas: desatenção, dificuldade de aprendizado e alteração hormonal.

26 A 64 ANOS
7 a 9 horas. Prejudicial: menos de 6 e mais de 10. Dormir mal: diabetes, hipertensão, obesidade, câncer.

MAIS DE 65 ANOS
7 a 8 horas. Prejudicial: menos de 5 ou mais de 9. Mesmos males da faixa anterior.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência