PF deflagra operação contra tráfico internacional de drogas

Cerca de 200 agentes cumprem 67 mandados no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Por O Dia

Curitiba - A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira, a "Operação Enigma" contra uma suposta organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de entorpecentes oriundos do Paraguai e com destino a Curitiba e Região Metropolitana. Segundo as investigações, o grupo movimenta 200 quilos de cocaína por mês.

Agentes da Polícia Federal (PF) cumprem mandados contra organização criminosa envolvida com o tráfico internacional de drogasDivulgação PF

De acordo com a PF, o grupo adquiria entorpecentes no Paraguai e os transportava clandestinamente para o País com o objetivo de abastecer, principalmente, a capital paranaense e sua região metropolitana. Durante as investigações foram feitas várias prisões em flagrante e apreensão de entorpecentes negociados pela quadrilha ora investigada. 

Cerca de 200 agentes da PF estão cumprindo 67 mandados judiciais nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, sendo 37 mandados de busca e apreensão, 20 mandados de prisão preventiva e 10 mandados de prisão temporária, todos expedidos pela Justiça Federal em Curitiba.

A PF dá conta de que, para driblar as investigações, os integrantes da suposta organização estabeleceram um esquema lavagem de dinheiro que envolvia a ocultação e fracionamento das operações financeiras, a utilização de "laranjas" para realização de negócios envolvendo bens adquiridos pelo grupo, a compra de veículos de luxo, imóveis rurais e outros de alto padrão no litoral de Santa Catarina.

Um dos responsáveis por organizar o grupo já havia sido alvo de investigação por tráfico de drogas em outra ação da Polícia Federal e atua por muitos anos como traficante de drogas, de acordo com a corporação.

Os investigadores acreditam que o grupo criminoso é responsável pelo tráfico de cerca de 200 quilos de cocaína e crack mensalmente para distribuição em Curitiba e região metropolitana

Aos investigados estão sendo imputados, dentre outros, os crimes de tráfico internacional de entorpecentes, associação para o tráfico, associação criminosa e lavagem de ativos. A Operação foi batizada de Enigma porque, em seu início, eram desconhecidos dos investigadores a estrutura de atuação e forma de comunicação dos alvos.

Últimas de Brasil